Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

COMUNICAR E ENVOLVER - Oficina de comunicação livre e global

As notícias. os factos e as opiniões, nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas, com gestão de António Veríssimo. Para se sentir sempre informado.

COMUNICAR E ENVOLVER - Oficina de comunicação livre e global

As notícias. os factos e as opiniões, nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas, com gestão de António Veríssimo. Para se sentir sempre informado.

10/06/18

Exposição de Comboios em miniatura no Núcleo Museológico de Valença

O Núcleo Museológico de Valença alberga uma Exposição de comboios em miniatura até dia 23 de Junho. A entrada é gratuita.

“O Beijo das Locomotivas” é o tema da mostra e reúne uma coleção de comboios e uma réplica da ponte internacional de Valença da autoria de João Paulo Sampaio Teixeira.

Os visitantes que passem pelo Núcleo Museológico de Valença, situado na fortaleza da cidade, encontram dezenas de miniaturas detalhadas de locomotivas e carruagens das mais variadas épocas e de vários países.

MINHO DIGITAL

comboio_1.jpg

comboio_2.jpg

comboio_3.jpg

 

10/06/18

Financiamento Político

Desde 2012, quando publicámos a nossa análise ao Sistema Nacional de Integridade, identificámos o financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais como uma área problemática. Temos falado muito sobre isso ultimamente, a propósito das alterações à lei feitas no início do ano – depois de um primeiro esboço que fora vetado pelo Presidente da República.

Esta sexta-feira, uma entrevista esclarecedora do presidente do organismo de controlo das contas dos partidos mostra o estado de coisas. A Entidade das Contas tem apenas seis pessoas a trabalhar – os três dirigentes, mais três funcionários. Muitos processos de irregularidades contabilísticas cometidas pelos partidos correm o risco de prescrever. E, a coberto de aumentar as competências da Entidade, a última alteração legislativa tirou-lhes uma competência crucial, de emitir regulamentos que obrigavam os partidos, por exemplo, a apresentar as suas contas de uma forma padronizada e normalizada, para mais eficaz controlo. É tudo mau.

Nestas duas questões – como em praticamente todos os outros problemas de política pública – existem soluções estudadas, discutidas e propostas em tempo aos responsáveis políticos. Muitas vezes, no entanto, nada acontece. As soluções estão atrás de uma porta que os nossos líderes insistem em não abrir. Ao persistirmos no debate, ao partilharmos a informação, ao apontarmos os problemas e sublinharmos as soluções, fazemos o nosso papel, de criar vontade política para abrir essas portas e começarmos finalmente a aplicar as soluções.

TRANSPARÊNCIA E INTEGRIDADE

financiamento-300x149.jpg

Foto: substantivoplural.com.br

08/06/18

LE MONDE DIPLOMATIQUE: NAS BANCAS A EDIÇÃO DE JUNHO

Nas bancas, jornal + livro

Edição de Junho de 2018

(índice de artigos)

Índice Editorial Lambe-botas de Washington . SERGE HALIMI Política Assalto ao trabalho e às pensões . SANDRA MONTEIRO Saúde O ambiente obesogénico . ISABEL DO CARMO Economia O passado económico tinha de mudar . JOÃO RODRIGUES Género A cidade (que) não vem nos livros . PAULA MIRANDA Sociedade Prisões, alteridade e cultura: podem as artes ser uma força de transformação? . DANIEL MACIEL Cultura Quando mudam as palavras . MARTA DIAS DOSSIÊ . Sobressalto demográfico na Europa A paisagem.
08/06/18

Para aumentar a reciclagem, vai poder trocar os plásticos por senhas de supermercado

O Governo apresentou ontem um conjunto de medidas para aumentar a reciclagem de plásticos. Entre estas medidas está a possibilidade da entrega dos plásticos nos supermercados e ver o peso desses resíduos convertido em senhas para usar nessa superfície comercial.

A entrega de plásticos em troca de vales de compras pode entrar em vigor já no próximo ano, primeiro nas grandes superfícies, depois nas estações de serviço e nas áreas de restauração das grandes superfícies, segundo o Jornal de Negócios.

Se esta medida não surtir o efeito desejado, poderão ser implementadas taras (taxas de retorno) para as garrafas de plástico de águas e refrigerantes para que os consumidores sejam incentivados a devolver as garrafas, à semelhança do que acontece com as garrafas de vidro com tara, noticia o Jornal de Notícias. Esta é uma medida defendida pelo Bloco de Esquerda e pelo PAN, mas o Governo não a deseja implementar para já.

As medidas também passam por campanhas de educação ambiental junto dos consumidores e por acordos com os produtores, distribuidores e restauração. A ideia é que se reduza o consumo de garrafas de plástico, voltando a usar garrafas de vidro nos restaurantes ou substituindo as garrafas de plástico nos congresso por jarros de água e copos de vidro, mas também que se aumente a recolha dos plásticos utilizados.

Outra medida passa por alargar a recolha porta a porta feita pelos municípios, não só para os plásticos, mas também para os biorresíduos, como resíduos alimentares e dos jardins. Esta medida, no entanto, não será aplicada da mesma forma em todo o país. O secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, também gostaria de ver implementada outra ideia: que a garrafa, a tampa e o rótulo fossem feitos do mesmo material para simplificar o tratamento dos resíduos.

OBSERVADOR

PLÁSTICOS.jpg

 

07/06/18

“Correr contra a Violência Doméstica” na Guarda

A minimaratona “Correr Contra a Violência Doméstica” realiza-se no próximo dia 15 de junho, com partida do Parque Urbano do Rio Diz, na Guarda.

Esta iniciativa é organizada pelos cursos técnicos superiores Comunicação, Protocolo e Organização de Eventos e Repórter de Som e Imagem, da Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto, do Instituto Politécnico da Guarda.

Segundo a organização, a Minimaratona Correr Contra a Violência Doméstica “ergue-se como um alerta global para um fenómeno que continua a ceifar, limitar e paralisar a vida de um número muito significativo de pessoas, essencialmente, mulheres”.

BEIRA.PT

minimaratona2.jpg

 

05/06/18

MAPA NR 20: PARA LER POR AÍ E ASSINAR

Na foto da capa, uma enxada é erguida ao alto sobre as encostas enegrecidas dos incêndios do ano passado. Para lá do fumo, antes que o fogo venha é um caderno especial do Jornal Mapa, ou seja, uma compilação de artigos sobre o fogo e o território por entre histórias de resiliência. De florestas e gentes que renascem das cinzas, para se reencontrarem na interajuda e num sentido de comunidade com a natureza. Nessa foto de capa, a luz incide sobre a beirã aldeia de Barco, onde a população se ergueu contra a mineração projetada nas encostas da serra da Argemela. Os holofotes da presente edição viram-se também para a febre do lítio e os conflitos ambientais da mineração.

Dos testemunhos que nos falam de novas formas de viver e de repensar a floresta, as aldeias e as serras, haverá uma ponte com a entrevista à Cooperativa Minga, em Montemor-o-Novo, de economia de proximidade e autonomia, e com a experiência de agroecologia realizada na Aldeia do Vale. Noutras latitudes, há um olhar sobre a Grécia onde o Estado deixou de garantir muitos serviços essenciais mas a auto-organização não se fez esperar e as okupas de Atenas são a face da solidariedade internacionalista. Noutras páginas, uma análise histórica da cidade resume as tensões urbanas vividas diariamente nas urbes em transformação.

Destaque ainda nesta nova edição do Jornal Mapa para uma visão não comemorativa do Maio de 68, com dois testemunhos de análise e crítica, que recordam que as coisas acontecem quando menos se espera. Como não se esperava que o precariado invísivel dos estafetas se estivese a transformar num movimento reivindicativo transnacional e transversal a diversas plataformas de entrega, uma das outras histórias que ainda não acabaram.

Para completar esta 20ª edição, há ainda espaço para um relato do encontro de mulheres em Mar­ço de 2018, nas montanhas de Chiapas, um olhar sobre os conflitos no Myanmar, notas sobre Biopolítica e as recensões baldias. Um jornal que pode continuar, face ao apoio e amizade de tanta gente, numa campanha de crowdfunding, nos escancarou as portas para continuarmos nas ruas e a chegar à casa de leitores e as assinantes, cujo número, ainda assim, gostaríamos de ver crescer.

Compra-o perto de casa - http://www.jornalmapa.pt/distribuicao/

Recebe-o no conforto da tua tenda -http://www.jornalmapa.pt/assinatura-do-jornal/

mapa.jpg

mapa assina.jpg

 JORNAL MAPA

02/06/18

Setor empresarial da Madeira cresce e diminui passivo em 8,1%

O Setor Empresarial da Madeira (SERAM) teve um crescimento de 2 milhões de euros no seu volume de negócios o que traduz um aumento de 1,5% no primeiro trimestre face ao período homólogo. Estes organismos apresentaram uma diminuição no passivo de 8,1%, que se traduz em 176 milhões de euros, avança a Direção Regional do Orçamento e Tesouro (DROT).

No primeiro trimestre o SERAM registou ainda uma quebra no endividamento de 149 milhões de euros o que representa uma descida de 10,1% em termos homólogos.

Neste período existiu um aumento no investimento em cerca de 12 milhões de euros. Os activos do SERAM tiveram uma quebra de 5,8%, para os 2.6 mil milhões de euros, enquanto o passivo desceu 8,1%, para os 1.9 mil milhões de euros. Já a situação líquida melhorou 2,3% para os 629 milhões de euros.

Ruben Pires

JORNAL ECONÓMICO

dinheiro_euro_3110-925x578.jpg

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.