Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COMUNICAR E ENVOLVER - Oficina de comunicação livre e global

As notícias. os factos e as opiniões, nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas, com gestão de António Veríssimo. Para se sentir sempre informado.

COMUNICAR E ENVOLVER - Oficina de comunicação livre e global

As notícias. os factos e as opiniões, nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas, com gestão de António Veríssimo. Para se sentir sempre informado.

29/05/18

ANTÓNIO LOJA NEVES DEIXOU-NOS

É com imenso pesar que o LIVRE recebe a notícia do falecimento de um dos seus membros fundadores, António Loja Neves, destacada figura da vida cultural e política portuguesa. 

Ativista, jornalista, ator, realizador, crítico, cronista, poeta, madeirense, lisboeta e cidadão do mundo, António Loja Neves nasceu no Funchal, em 1953. A sua paixão e alegria de viver levaram-no a assumir diferentes papéis durante a vida. Foi em Cabo Verde, durante a sua juventude, que despertou para a política envolvendo-se na luta anticolonial e antirracista, onde também desenvolveu uma enorme paixão pela música e literatura africana, em particular a cabo-verdiana, que o acompanhou durante toda a vida. O gosto pela agitação política e cultural continuou depois do 25 de Abril, procurando sempre não separar estes dois mundos, vendo no cinema uma forma de pôr as pessoas a discutir o mundo que as rodeia.

Foi colunista e jornalista no Expresso; realizou o documentário “O Silêncio” em 1998 sobre um episódio trágico de violência fascista ocorrido em 1946; foi ator nos filmes Os Canibais (1988) e O Processo do Rei (1990); Foi co-fundador da Federação Portuguesa de Cineclubes e da AporDoc, e co-organizador do PANORAMA, dos Encontros Internacionais de Cinema Documental; comissariou festivais e mostras de filmes lusófonos; ganhou o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores em 2002. Em maio de 2018, lançou o livro “Arménia – Povo e Identidade” em coautoria com Margarida Neves Pereira.

António Loja Neves era, sobretudo, um ativista para quem a política e a cultura eram indissociáveis, procurando sempre instigar ideias em virtude da sua grande paixão pelo debate e pela vida. A sua morte prematura deixa o país, do continente às ilhas, com menos uma voz crítica e irreverente.

O LIVRE expressa as suas mais sentidas condolências à família de António Loja Neves e conta providenciar, em breve, detalhes sobre a sessão pública de homenagem a um estimado camarada cuja falta será muito sentida.

 

Haverá amanhã, 29 de maio, uma cerimónia de amizade e homenagem ao António Loja Neves, com um pouco de música cabo-verdiana, como era seu desejo, no espaço do Teatro Praga, na Rua das Gaivotas n° 6, em Lisboa, das 19h00 às 21h30.

LIVRE

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.