Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COMUNICAR E ENVOLVER - Oficina de comunicação livre e global

As notícias. os factos e as opiniões, nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas, com gestão de António Veríssimo. Para se sentir sempre informado.

COMUNICAR E ENVOLVER - Oficina de comunicação livre e global

As notícias. os factos e as opiniões, nacionais e internacionais, nas mais diversas áreas, com gestão de António Veríssimo. Para se sentir sempre informado.

Biblioteca de Maia Alcoforado doada ao Município de Mira

Junho 14, 2018

antónio veríssimo

Numa cerimónia singela, foi feita a doação simbólica da biblioteca particular de Maia Alcoforado à Câmara Municipal de Mira.

doação foi realizada pelos netos do conhecido republicano, D. Carmina Paula Tavares dos Santos e Sr. Ulisses Paulo Tavares dos Santos, ao presidente do município, Dr. Raul Almeida, conforme vontade expressa dos falecidos pais, herdeiros do conhecido republicano. No momento, o Dr. Raul Almeida agradeceu a doação, enalteceu os valores dos herdeiros fazendo valer a vontade dos pais falecidos e reconheceu o valor de Maia Alcoforado como homem, político e intelectual tão estreitamente ligado a Mira.

Maia Alcoforado foi casado com D. Carmina Moreira da Silva, professora primária de Mira até ao final dos anos 60, tendo o casal adotado como filha D. Ana Maria Pereira Tavares dos Santos que, anos mais tarde, casaria com o Sr. Ulisses dos Santos Reigota, herdeiros que manifestaram vontade em doar a biblioteca ao município.

Os herdeiros de Maia Alcoforado, conhecedores e apreciadores do talento e da obra do familiar, desde sempre valorizaram a sua biblioteca particular, compostas de obras emblemáticas da sua ideologia na geração em que viveu.

A biblioteca em questão ficará, depois de totalmente tratada e recuperada, disponível ao público na Biblioteca Municipal de Mira, enriquecendo, deste modo, a cultura gandaresa.

Sobre Maia Alcoforado

Maia Alcoforado é o nome por que ficou conhecido o republicano e antifascista José Francisco de Paula da Ressurreição Oliveira Maia Alcoforado, nascido em Panóias, localidade do concelho de Ourique a 2 de abril de 1899 e falecido em Mira em janeiro de 1974.

Maia Alcoforado veio residir para Mira na sequência do casamento com a professora primária D. Carmina Moreira da Silva, tendo adotado como filha Ana Maria Pereira Tavares dos Santos.

Em 1916 começou a trabalhar como jornalista no jornal “A Capital” e, ao longo da vida, colaborou com diversos jornais portugueses com relevo especial para O Século, O Primeiro de Janeiro e O Diário de Coimbra. Em Mira foi o diretor do jornal A Razão.

MAIA ALCOFORADO.jpg

 Com um percurso político revolucionário, manifestamente republicano e antifascista, esteve exilado em Espanha tendo acabado por ser preso, em Portugal, em 1932. Esteve preso pela PIDE entre 30 de julho de 1937 e 17 de julho de 1938.

Defendeu a participação de Portugal, e participou, na 1ª Guerra Mundial tendo, por isso, sido condecorado. Por essa razão, em Mira, foi um dos responsáveis pela realização do Monumento aos Mortos da Grande Guerra.

Foi autor dos seguintes livros: “Cartas que Vogam” (1923),”Crónicas de Qualquer Dia” (1925),”Poalha Doirada” (1926),”Ílhavo Terra Maruja, Marujos da Terra dos Ílhavos” (1933), “À Boca Pequena…” (1935) e “A Corografia e o Desporto” (1946).

Desempenhou funções na Fundação Calouste Gulbenkian, no setor das bibliotecas e da leitura.

MIRA ONLINE

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D