Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COMUNICAR E ENVOLVER

Uma oficina livre e global de comunicação, nas mais diversas áreas, gerida por António Veríssimo.

COMUNICAR E ENVOLVER

Uma oficina livre e global de comunicação, nas mais diversas áreas, gerida por António Veríssimo.

13.06.18

Governo e Representante da República fora da sessão solene do Dia do Concelho de Santa Cruz

antónio veríssimo

A Câmara Municipal de Santa Cruz vai deixar de fora da lista de convidados para a sessão solene do Dia do Concelho assinalada a 25 deste mês, quer o Governo Regional, quer o Representante da República, Ireneu Barreto.

“Não quero mais ninguém aqui do Governo. Não vou sentar no melhor lugar da mesa, quem não respeita o povo de Santa Cruz”, afirma Filipe Sousa, líder do executivo camarário.

Ao Económico Madeira, o autarca diz ter perdido toda a expetativa positiva relativamente ao Governo de Miguel Albuquerque e garante que, enquanto não estiverem resolvidos dossiers como a transferência do IRS relativo a alguns meses de 2009 e de 2010 e o Parque Industrial da Cancela, nem o líder do Executivo social-democrata, nem Ireneu Barreto serão convidados para atos solenes no concelho.

Em causa, estão cerca de 2 milhões de euros relativos ao IRS de 2009-2010. Várias câmaras reclamam a transferência do montante correspondente aos 5% do IRS cobrado aos sujeitos passivos com domicílio fiscal nos seus municípios.

“No caso de Santa Cruz, estamos a falar de cerca de 2 milhões de euros que fazem falta. Aliás, o dinheiro se entrasse ia logo ser usado para pagar ao Governo, às empresas da Electricidade e da Água que são os únicos credores que nos temos”, declara Filipe Sousa.

Outra dos motivos de litígio está relacionado com a propriedade do Parque Empresarial da Cancela não reconhecida pelo Governo Regional. “Nós somos titulares deste investimento avaliado em cerca de 5 milhões de euros. Já apresentei propostas ao Governo, dando a possibilidade e amortizar a compra do terreno em 20, 25 ou 30 anos, para além de não resolverem, bloqueiam-nos”, acusa o autarca.

“Quisemos vender uma fração, o Governo bloqueou-nos, interpôs uma ação e impediu-nos de arrecadar quase 700 mil vendas na venda de um prédio”, acrescenta o presidente da Câmara de Santa Cruz que atribui esta atitude do Executivo “a uma certa vingança” aguçada pela diferença nas cores políticas.

Filipe Silva diz ter levado estes dossiers ao Representante da República, Ireneu Barreto. “Ficou meio atrapalhado e disse que não ia tocar no assunto porque era ano de eleições. Se há pessoas que estão a assumir cargos políticos em função do caderno eleitoral, eu não funciono assim”, conclui Filipe Sousa que, este ano, na sessão solene comemorativa do Dia do Concelho vai sentar ao centro da mesa a sra Augusta, uma habitante da Camacha que vai representar a população de Santa Cruz.

PATRICIA GASPAR

ECONÓMICO MADEIRA

FILIPE SOUSA.jpg