Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

COMUNICAR E ENVOLVER

Uma oficina livre e global de comunicação, nas mais diversas áreas, gerida por António Veríssimo.

COMUNICAR E ENVOLVER

Uma oficina livre e global de comunicação, nas mais diversas áreas, gerida por António Veríssimo.

Lince pode voltar à Malcata daqui a quatro anos

O ministro do Ambiente afirmou, na sexta-feira passada, esperar que daqui a quatro anos o lince comece a ser introduzido na Reserva Natural da Serra da Malcata e explicou que para isso está a haver um investimento de meio milhão de euros.

“O lince estará de volta à Serra da Malcata, mas se o trouxermos agora para aqui e o introduzirmos não tem condições para poder viver. Por isso, em conjunto com as câmaras de Penamacor e do Sabugal, desde há um ano que estamos a trabalhar com esse objetivo”, afirmou o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

O governante, que falava à margem de uma sessão dedicada ao projeto de proteção e restauro de espécies e habitats prioritários na reserva natural da Serra da Malcata, adiantou que se trata de um trabalho moroso, porque é preciso preparar os terrenos e controlar a febre hemorrágica dos coelhos.

“Quando conseguirmos isso e o objetivo é com meio milhão de euros em cinco anos chegarmos aí, um ano já passou, e daqui a quatro anos haver condições para introduzir o lince na Serra da Malcata”, explicou.

O ministro explicou ainda que são necessários três coelhos por hectare para que o lince possa viver e, neste momento, na Malcata, os valores são de apenas 0,5 coelhos por hectare.

“Falta criar condições para que, em primeiro lugar, o coelho possa aqui viver”, concluiu.

Já o presidente da Câmara de Penamacor, António Beites, mostrou-se satisfeito com as boas notícias e a criação de habitat para que o lince possa voltar à Serra da Malcata e em paralelo seja feita a prevenção florestal.

“Ninguém em Portugal consegue dissociar o lince da Serra da Malcata. Quando assim é, faz todo o sentido que este tipo de projeto seja aqui implantado”, disse.

JORNAL DO FUNDÃO

LINCE.jpg

Foto: ICNF